Afinal o que é #28DaysOfBlackCosplay ?

Fevereiro é conhecido nacionalmente como Mês da História Negra, celebrando todas as contribuições e conquistas dos negros durante todo o mês. Faz sentido ter #28DaysofBlackCosplay em torno deste mês também.

Mas o que é o #28DaysOfBlackCosplay ? Chaka Cumberbatch-Tinsley, cosplayer e criadora do #28DaysofBlackCosplay é também grande defensora do movimento de representatividade e posicionamento dos cosplays negros

“Começou como um modo de nós cosplayers negros celebrarmos e exibirmos nosso próprio trabalho no meio de uma subcultura, onde muitas vezes sentimos ser ignorados, particularmente porque o cosplay ganhou mais atenção nos últimos anos.” Chaka diz “Isso Era para ser uma celebração de unidade e orgulho, que idealmente encorajaria mais pessoas a participar. Muitas vezes há tanta toxicidade sendo arremessada em cosplayers negros online, e realmente me preocupava ler e-mails e comentários de pessoas que queriam participar, mas não achavam que podiam lidar com o abuso. Eu queria mostrar a eles que eles pertencem, que há pessoas negras que fazem cosplay (e fazem isso bem!) E ajudam a criar um ambiente mais acolhedor para eles participarem. ” (trecho de entrevista dada ao BuzzFeed)

Inclusão é algo que é muito importante para Chaka. Ela não está procurando a costureira mais habilidosa ou até mesmo os personagens mais convincentes. O que ela quer é que cosplayers negros se sintam incluídos e se divirtam

“Participar do #28DaysOfBlackCosplay é simples”, continua ela. “Se você é um cosplayer negro, tudo o que você precisa fazer é postar fotos de suas fantasias sob a hashtag. É isso aí. Nos dois primeiros anos, eu pesquisava cosplayers e escrevia perfis apresentando-os na minha própria página de cosplay, mas isso me consumia muito tempo e eu me preocupava em parecer exclusiva ou deixar as pessoas de fora. Então, este ano, eu reuni um mês de temas diários e simplesmente peço que todos postem fotos todos os dias que eles sintam o tema. Eu acho que isso o torna mais acessível a uma variedade maior de pessoas, e evita a idéia de que você tem que “aplicar” para ser “escolhido” como um “cosplayer em destaque” ” (trecho de entrevista dada ao BuzzFeed)

A hashtag explodiu e os cosplayers negros de todo o mundo realmente aderiram à ideia. O evento cria um espaço inclusivo para os cosplayers negros desfrutarem de seus fandoms e abraçarem sua criatividade.

O sucesso da hashtag não era esperado por Chaka. “Eu esperava que as pessoas ficassem com a ideia – mas eu nunca poderia ter imaginado que três anos depois, ela teria se transformado em um call-to-arms mundial.” Ela diz “Eu me lembro de estar nervosa na noite anterior, e dizendo ao meu marido que eu não tinha certeza se alguém iria realmente abraçar a hashtag. Avançando rapidamente três anos, e olhando através dos posts no Facebook, Twitter, Instagram e Tumblr nos dias de hoje, minhas preocupações iniciais parecem insanas. A comunidade realmente adotou este evento como se fosse seu – é basicamente um cânone para nós neste momento. Há pessoas que literalmente começaram a fazer cosplay depois de ver a hashtag. Há pessoas que me dizem agora que trabalham em fantasias, photoshoots e vídeos com a intenção de estrear seu trabalho durante 28 dias todos os anos, porque se tornou uma época do ano altamente visível para nós. Eu amo isso. Eu adoro que essa idéia completamente aleatória que eu tive na minha cozinha há alguns anos tenha conseguido ajudar tantos cosplayers negros, porque é tudo o que eu me propus a fazer em primeiro lugar. Eu venho dizendo isso há anos, mas, honestamente, se o #28DaysOfBlackCosplay ajudou até mesmo um nerd negro a se sentir mais confortável fazendo cosplay, então considero um sucesso. ” (trecho de entrevista dada ao BuzzFeed)

Foto da capa : https://www.facebook.com/Knightmage1

Post criado 35

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo